Quase dez anos passaram desde que tomamos a decisão de aproveitar a oportunidade da proximidade a Portugal para escolarizar aos nossos filhos na formosa cidade de Valença do Minho. Como no próximo ano eles irão ser escolarizados em Tui, achei pertinente escrever este artigo para agradecer estes dez anos que consideramos muito positivos.

Ricardo nos braços de Cristina Oliveira. A foto foi tirada o dia que entreguei pela primeira vez a Ricardo na Santa Casa, en novembro do 2013. Ele tinha quatro meses.

Esta decisão foi tomada na altura por várias motivações, a maior flexibilidade nos horários foi uma delas, mas sem dúvida a principal foi que entraram em contacto profundo com a cultura e a língua portuguesas, o que ao nosso entender, iria enriquecê-los e dar-lhes vantagem no futuro para fazer frente a um mundo cada vez mais aberto e no que a capacidade de adaptação a contornos distintos vai ser um ativo importante.

O português é uma língua muito próxima ao castelhano, e ainda mais ao galego, mas o seu registo fonético é muito mais amplo que o nosso o que facilita a aprendizagem posterior de outras línguas. Depois de dez anos escolarizados em Portugal (oito no caso do pequeno) os nossos meninos são completamente bilingues ou trilingues (isto se considerarmos o galego uma língua distinta do português).

Algo que não contava é que eles são capazes de falar dois registos do português, o europeu e o brasileiro. Outra herança que levam deste período é poder entender de forma prática que o mundo é plural e diverso e tudo a uns centenares de metros de casa.

Foto tirada no 2018 pelos jornalistas do Jornal de Noticias para ilustrar uma reportagem sobre a Eurocidade Tui-Valença, no periodo no que eu fui presidente da Cámara de Tui. Na foto os dois miudos de costas e a Diretora da Santa Casa, Aurora Teixeira.

Uma vez acabado o período na Santa Casa eles foram para a Escola Básica de Valença. Para consolidarem o aprendido.

Não foi sem pena que tomamos a decisão de escolarizá-los em Tui para o ano 2023/2024. Mas achamos que era a melhor decisão neste momento para eles e para toda a família.

Muito obrigado as excelentes profissionais que os atenderam na Santa Casa; obrigado a Aurora, Cristina, Alda, Faro, Rita, Fátima, Júlia, Eunice, Marlene, Elizabete e Fernanda. Não me posso esquecer da cozinheira, Lurdes, que muitas vezes dava alguma bolacha às escondidas ao menino Ricardinho. Obrigado também aos grandes profissionais da Escola Básica de Valença; professora Iracema, professora Paula, professora Cristela, professora Madalena, professora Elisa, professor Francisco, professora Ana e professor Afonso. Os funcionários Isabel, Filipe, Paulo, Alda, Gena e Paula. Peço desculpa se de alguém me esqueço.

Obrigado também a todos os meninos e aos seus pais. Esperamos que possam manter relação, quando menos, com algúns deles.

No futuro tudo faremos por manter uma estreita relação com Valença, com Portugal e com a sua formosa língua. Um abraço para todos os meus amigos valencianos.

Foto tirada o 30/06/2023. O da sua despedida da Escola Básica de Valença. Mas não a sua despedida de Valença nem de Portugal.